sábado, 14 de fevereiro de 2009

Hoje, para brincar é preciso humilhar?

(Trote nos calouros do 2° semestre de 2008 - Dia da limpeza de praia. Os de branco são os calouros e os de cinza ou preto são os veteranos.)

Tenho o costume de ler o Tudo de Blog, da Capricho...E achei interessante que o tema dessa semana fosse exatamente o tema que eu estava pensando em postar aqui.
Deixando claro, então, o post não é pauta para o Tudo de Blog, até porque, infelismente não faço parte da Equipe...Mas como eu não tenho outra coisa em mente para falar no momento, sinto muito, mas vai ficar no ar a impressão de que eu copiei a idéia do tema.


Indo ao que interessa...
O que me levou a falar desse assunto?O fato de ter ouvido e lido durante toda essa semana, intermináveis casos de trotes que acabaram de forma trágica, pelas infelizes idéias de alguns estudantes (lê-se: animais).
A primeira delas, e que desencadeou o inicio do debate sobre o assunto na mídia foi a estudante grávida que foi queimada por substâncias quimicas por uma veterana da universidade (que eu ouvi dizer que seria, inclusive, de um curso diferente do que pertencia a caloura em questão).
Depois dessa, muitas outras histórias foram divulgadas, como a de um calouro de Veterinária que teria sido largado desacordado em uma república por seus veteranos e socorrido pela mãe de uma outra caloura.
Enfim...Histórias como essa se repetem em todas as partes do país e TODO ANO...Não sei se foi por dessa vez o fato envolver uma caloura grávida, a questão tenha gerado mais polêmica.Mas eu que tenho o assunto UNIVERSIDADE como realidade constante na minha vida desde 2007 (quanto cursava o terceiro ano do E. Médio) venho desde então reparando que em todos os inícios de ano letivo, um ou dois casos como esse são noticiados na TV, ou seja, virou rotina né?
Assim como, falar de Carnaval e Dengue, o inicio do ano, virou época de falar de alunos azarados humilhados pelos futuros coleguinhas universitários.

E é aí que eu paro pra pensar...Uma coisa que deveria ser motivo de risada e diversão, que foi criado como uma espécie de "ritual de passagem" (entre o colégio e a faculdade) e que deveria servir para dar boas vindas aos recem chegados, hoje, é motivo de medo, humilhação e tragédia.O tradicional trote, que antigamente ficava na memória dos universitários como a sua passagem para uma nova etapa de vida, hoje fica na memória, não só dos universitários, mas do país inteiro, quando estampa noticias em jornais e na TV, de barbária e mal gosto.
E o mais triste disso tudo, é que os donos dessas idéias "brilhantes" [/ironia] são os futuros profissionais do nosso país...Tá, falar isso parece meio radical, agente sabe que a cabeça de um jovem universitário amadurece ao longo dos anos e é outra quando este se torna um proficional no mercado...OU NÃO!
Pô galera, vamos combinar que tem umas idéias, que agente tem que concordar que não parecem ter saído da cabeça de um ser pensante.No máximo de um ser com capacidade de ficar de pé e respirar ao mesmo tempo, e olhe lá.

Algumas instituições já estão apelando até para prêmios, na tentativa de evitar trotes violentos.Por exemplo, na Faculdade de Informática e Administração Paulista (Fiap) , são oferecidos Ipods, bolsas de estudo e laptops para os estudantes que arrecadarem mais alimentos, dentre outras práticas (veja a reportagem aqui).
Uma inciativa legal, mas a que ponto nós chegamos?É preciso dar prêmios aos alunos, para que não haja violencia e brincadeiras perigosas??
Não, não acho que esse seja o caminho...Porque me desculpem os estudantes das faculdades particulares, mas nas faculdades públicas ninguem vai seprar uma "verbinha" para premiar calouros e veteranos não...Não separaram nem para que os estudantes tenham uma infra-estrutura decente!
Acho que a solução está na cabeça dos jovens...Os calouros de hoje, são os veteranos de amanhã...E por mais que alguns chorem, passem mal e sintam-se humilhados durante o trote, quando acaba, a primeira coisa que pensam é: "Beleza, no próximo semestre agente dá o troco".
São raros os casos de seres inteligentes e solidários que pensam em algo do tipo: "Vamos fazer algo mais inteligente" ou "Tá, depois de pinta-los agente parte pra uma campanha social" ou ainda "Que tal agente programar algo divertido pros calouros?".
HA HA...Probre mente ingênua a minha.
Quem irá querer ser o ultimo a sofrer os maus tratos do trote?Nunca vão pensar em "Fomos os ultimos a passar por isso, vamos mudar isso!" e sim "Depois que agente se vingar no proximo semestre, agente poderia sugerir algo mais light" e isso já é muito.

Jovens imbécis!É oque eu acho que são.
Se você já teve algum desses pensamentos, se ofenda mesmo...Te acho um ANIMALLLL!
Como pode um ser humano querer ver outro ser mal tratado depois de sentir como é ruim?
Talvez por eu ter vivido em um grupo diferente e de gente pensante, eu acredite que isso pode mudar.
Em 2008, entrei pro curso de Ciencias Biológicas na Universidade Federal Fluminense...E descobri que além de preocupados com o meio ambiente, eles se preocupam com o mundo, com solidariedade e em formar futuros profissionais dignos de respeito.
Fui pintada SIM, ouvi muito "calouro é burro" SIM, andei de elefantinho SIM, tive que pedir dinheiro na rua SIM, ouvi muitos berros no ouvido do tipo "ANDAAAAA CALOURAAAA" SIM...
Mas não fui obrigada a fazer absolutamente nada que eu não queria.

Achei incrivel o respeito que eles tiveram com agente.Ao fazerem uma brincadeira em que uma das calouras deveria dançar no cano, imitando a personagem da novela da época, perceberam que nenhuma das meninas queria fazer o tal papel, que todas estavam muito envergonhadas...Eu achando que eles iriam perder a paciencia e puxar alguem a força pra fazer (como eu ouvia dizer que funcionava nos trotes universitários), eles simplismente disseram: "Tá, agente imaginou que ninguem ia querer fazer e já tem outra brincadeira preparada, mais light".
Várias vezes ao longo da semana de trote e pincipalmente no primeiro dia, nos foi dito que não eramos obrigados a fazer nada, que a intenção do trote era confraternizar os calouros entre si e com os veteranos e que se em algum momento nos sentissemos ofendidos que falassemos na hora e eles mudariam o foco da brincadeira.
AHHHHHHHHHHHHHHHH, será que eu passei um ano em outro planeta?NÃO!
Existe vida inteligente na Terra, acreditem!
Além de tudo isso...Nosso trote tinha vários focos socias.
O dinheiro que arrecadavamos nas ruas (pintados), não eram para os veteranos encherem a cara (como em 99% das faculdades), esse dinheiro era guardado em um caixa, que ficava dentro do Diretório Academico.Havia uma lista com o nome de cada calouro e todo o dinheiro arrecadado por cada um de nós era anotado de forma individual nessa lista (ex: Amanda arrecadou 55,00 reais no primeiro dia de trote + 18,00 reais no segundo dia...).
Tinhamos uma meta a cumprir...Por volta de 180,00 reais.
Durante a semana de trote, os veteranos não ficavam bebendo às nossas custas enquanto andavamos nas ruas mendigando dinheiro.Eles passavam o tempo programando o "Churrasco dos calouros", um evento que ocorre todo semestre na BioUFF.
Os calouros que atingem a meta, entram de graça no churrasco e dos veteranos e convidados são cobrados taxas de entrada, para arcar com as eventuais despesas do evento.
O dinheiro arrecadado pelos calouros é empregado na confecção de camisas que são distribuidas no semestre seguinte aos novos calouros para que vendam e assim ajude na arrecadação de dinheiro, evitando que os calouros mofeeem nas ruas pedindo dinheiro todos os dias da semana de trote. (E as camisas são sempre de concientização ambiental *-*)
Em um dos dias de trote, os veteranos arrumam um ônibus da faculdade e levam os calouros para doar sangue no Hospital Universitário...Juntos vão sempre muitos veteranos, doando pela 2°, 3° ou 4° vez, e até alguns professores às vezes.Doam apenas os que podem e querem, os que não vão, ajudam veteranos na arrumação do diretório.
No último dia de trote, participamos do projeto "Trote Cultural" apoiado pela UFF.Os calouros, junto com veteranos voluntários e membros da comissão de trote vão para uma praia proxima ao campus, realizar um trabalho de limpeza da areia e entrega de ponfletos de concientização para os pedestres, banhistas e motoristas que passam pelo local.
Além de todas essas iniciativas, há a arrecadação de alimentos.Em cada dia da semana de trote, um alimento é estipulado para ser levado.No fim do trote, os calouros são levados para entregar esses alimentos em instituições carentes de Niterói.
Resuminto...Foi um trote divertido e útil.Teve tradição e teve aprendizado.
Teve respeito e solidariedade!

[Se eu não fosse realmente apaixonada pela Medicina, não sairia da Biologia da UFF, eles são uma familia...Dá gosto de fazer parte.]

(Meu trote, 1° semestre de 2008 - Dia da limpeza de praia)

Ainda há esperança no mundo.
Espero que esse exemplo seja lido por universitários inteligentes que os levem para dentro dos seus cursos.De um em um, quem sabe um dia, no inicio do ano agente não volte a ouvir falar só de Carnaval, abolindo os casos de calouros em coma alcoolico ou queimados?(E abolindo a Dengue também, que seria otimo)
Quero poder ter orgulho da minha geração!

- Esse é meu "breve" protesto contra jovens estúpidos!

29 comentários:

Alice disse...

eu nem qusi participar de trote,aqui no DF a tradição nem é tão forte,mas qndo rola algo é algo negativo,então achei melhor não participar!
eu tb queria fazer medicina,eu amo mais meu curso do que medicina,mas eu que queria muito fazer! vai entender!

Naturline disse...

Fiquei muito satisfeito por perder o seu blog, agradeço muito o momento que passei para ler o seu blog.
Um afetuoso abraço.

Joéliton disse...

Oi...td bem???

Visita o meu blog, se gostar, comente e fique acompanhando. Será um prazer ter vc aqui.
Copie e cole o link

http://joelitontododia.wordpress.com/

Larissa disse...

Estou acompanhando seu blog. Agradeço o comentário no meu. E sobre seu post, é ralmente lamentável que as pessoas tenham em si essa capacidade de humilhar as outras, transformando momentos de conquista e superação, em traumas irrecuperáveis.

Abbie disse...

Eu nunca vou esquecer o dia em que minha prima voltou pra casa com machucados roxos no braço por causa de um trote babaca da Faculdade dela. Vendo essas coisas, me dá até medo de ser inteligente o bastante pra entrar num lugar com animais desse tipo.

Mayana Carvalho.♥ disse...

O que um brincadeira aparentemente inocente pode fazer...
Estupidez total! Fora do limite!

Beijos

Thaís disse...

É realmente lamentável o que acontece!
Daqui a duas semanas vai ser o meu trote, e é chato ver que minha mãe só está tranquila porque meu curso (Filosofia) "Tem pessoas bem mais velhas, com cabeça no lugar... Não tem um bando de muleques arruaçeiros" como ela mesma disse. Descrença total na racionalidade dessa geração...

Tayane Sampaio disse...

É um absurdo esses trotes, pessoas que estão no nível superior deviam ter um pouco mais de inteligência, educação e consciência.

Ana Gabi disse...

Eu tb fiquei muito revoltada qd vi essas coisas na tv!

Na minha época de facu o trote foi solidário... e é esse tipo de trote que contribui para o entrosamento, né?

Boa semana!

;)

Ka Benatto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ka Benatto disse...

Pois é, hoje em dia acontece cada coisa. É dificil imaginar como as pessoas chegam a conclusão de agir de tal maneira possa ser divertido ou sei lá...
E tenho certeza que tem muitos veteranos "alienados" que acham horrivel isso, mas vão na onda dos outros e acabam participando dessas barbaridades pra continuarem sendo aceitos... ¬¬'

Espero que quando entrar pra faculdade meu trote seja tao legal quanto o seu! xD

Ah! Então, leia o livro da Anne Frank sim, é meu livro favorito!
Mas o filme creio que nao tem em locadoras, eu consegui baixar por Torrent e é em inglês, porem depois de ler o livro, acho que se vc nao souber inglês nao tem problema xD
(enfim encontrei alguem que gosta de ler e depois assistir) hehehe
;*

disse...

Trotes vão de acordo com o caráter de cada um... infelizmente, a maioria das pessoas não os têm.
E isso é foda!
Gente totalmente sem noção.
Grande abraço!

Sofih disse...

Tô achando essa história de trote um absurdo! Por que não fazem uma coisa legal e que agrada a todo mundo??

O layout é novo!

Bjs

Su disse...

Infelizmente há veteranos que não tem noção do que fazem. Há muitos trotes que são inquestionáveis, e outros completamente inteligentes. Aqui na minha universidade fazemos o trote solidário, sem agredir ngm... E bem que podia ser assim em todo lugar!!

Muito obrigada pela visita, volte sempre!!
beijoos

Groo disse...

Oi, Mandy! Acabei de atualizar o grooeland! Quase no mesmo tempo em que você postou seu comentário...rsss

Seu protesto está ótimo. Penso que essas pessoas que realizam trotes violentos e ferem os calouros deveriam ser punidas de alguma forma. Ora, eu não consigo imaginar um profissional em medicina, por exemplo, fazendo trotes idiotas e que coloquem em risco a vida das pessoas, por exemplo.

Se eu soubesse que um profissional (médico, dentista, advogado, etc) fez trote violento com intenção de humilhar, maltratar e ferir calouros, eu não solicitaria serviços deste profissional de jeito nenhum.

Pra mim a solução seria cancelamento da matrícula e processo criminal para vagabundos que só querem ferir as pessoas.

Abração!

Bell Bastos disse...

Sou à favor de trotes solidários, como passar o dia em um hospital ajudando crianças com câncer ou doando sangue.

Bichos não são os calouros, bichos são os veteranos qeu inventam esses trotes ridículos.
_____________________________

*_* E volte sempre, aliás, muuito obrigada por colocar meu blog na sua lista de favoritos, fico muuuito feliz. =D

Ah, mas faa sério se num é o melhor a se falar numa hora dessas? auhauau

O Conselheiro Sentimental disse...

maravilhoso post.....obrigado de ter me ajudado a colocar o selo.......muito obrigado de seu coment....bjs

Caá disse...

meu, com tudo isso que tem acontecido, dá muito medo.
ano que vem eu viro biixete, e meu, pensa em tudo que tá acontecendo, da muito muito medo:S

sei lá, eles não pensam nas consequencias, querem só se aproveitar!
como vc mesmo disse, são ANIMAIS!

ee obrigada pela visita, vou te acompanhar pra passar sempre por aquii :D beijao

*Lusinha* disse...

Acho que é um assunto corriqueiro, que acontece todos os anos, mas como sempre, esse é o da vez da mídia.
Eu acho lamentável ouvir histórias como essas. Tive meu trote na faculdade, sai de lá toda pintada e pedi $$ no farol, mas não vi violência, desrespeito, nada disso.
Bjitos!

Nathália disse...

Lembro que meu trote foi super tranquilo. Tivemos as brincadeiras, recolhemos dinheiro, fizemos a choppada mas só participou disso tudo quem quis. Se a pessoa não queria, ninguém insistia nem nada.
E também tivemos o trote solidário, por iniciativa dos próprios estudantes. Doamos sangue e também roupas ou alimentos pra uma instituição escolhida pelos veteranos.

Amei meu trote e é esse trote consciente que continuamos aplicando na minha faculdade.

Acho totalmente selvagem esses trotes violentos. E sem propósito.

Beijo!

' Jαdє Amσrιm disse...

Ah, cara. Eu simplesmente não gosto, para mim sem tinta, sem elefantinho e sem esmola! Cara, é bem complicado...
Eu prefiriria mil vezes ao invéz de arrecadar grana, arrecadar comida para fazer doaçãao! o/
Adoreei o post, eu fiz um desse esses dias, você viu?

BeijOs!

disse...

Putz! Sério? Cara, se comigo foi traumatizante, que eram só dois e com uma arma pequena, imagina vc...

Odeio!

Odeio!

Odeio terráqueos...


e agora só ando com QAUSE nada dentro d bolsa. E debaixo do banco!

Aff!

roHh disse...

Eu acho que os trotes costumam ser mais violentos nas faculdades publicas, mas também acontecem umas coisas muito sem noção nas particulares.

Parece que as pessoas perdem o juizo e ficam meio loucas, sei lá. É um absurdo mesmo... =/

Aline disse...

Trote com um pouco de bom senso é bem divertido. Um passei por isso e fiz outros passarem também, mas sem machucar ninguém tanto que fiz muitos amigos! Esse também é um dia de integração e um pouco de senso de humor não faz mal a ninguém. Uns dias depois o Mackenzie, em São Paulo, proporcionou o Trote Solidário que consistia em distribuir saquinhos para carros para que o pessoal não jogue lixo na rua! Foi bem legal a bixarada em plena Rua da Consolação conscientizando a população. Mas ainda é o ser humano, é capaz de pensar em ótimas e péssimas ideias ao mesmo tempo.

Princesa moderna disse...

amei o texto! é isso mesmo sabe... esss pessoas são animais, bundinhas, filhos de papai que acham que são os poderosos, mas não tem nada na cabeça a não ser esterco... ai desculpa se estou sendo severa demais, mas eu sofri muito preconceito já e acho isso ridículo, isso não acontece somente em universidades, em escolas publicas quando chegam alunos novos isso tbm ocorre, acho tamanho desrespeito e infantilidade! confesso que estou com medo de ingressar na universidade ano que vem... Depois do que vi e li em jornais... Dá muito medo mesmo, mas temos que tentar acabar com isso sempre! beijos

Coli Gessinger disse...

aaah os trotes... hm*
engraçado como tudo hoje em dia é motivo pra volência..


até um trote, coisa que deveria estimular ao aluno.. poxa, entrar na faculdad eé um passo tão grande e tão importante que isso deveria ser levado mais à sério, assim como o trote cultural da tua turma, que lindo isso *-*

mas infelizmente estamos no Brasil, onde até nas coisas que deveriam ser pra descontrair existe tanta violência..

show de bola o post e copiado nada, nem vem com essa, duvido que o post do Tudo de Blog estejamelhor que o teu! ;)

show!

bjaaum

Tah disse...

Você disse tudo!
E que trote legal esse da limpeza da praia, cada curso deveria focar sua área e fazer algo do tipo, seria muito mais inteligente e humano!
Beijos guria!!!

Ice Ice Baby disse...

trote deveria ser um ritual de passagem pra vida adulta..não pra infantilidades e atos estúpidos e imaturos!!

se vc está se tornando um adulto, deveria agir como tal, não é?!

bjs chuchu

Ju disse...

Olá! Nunca vi notícias sobre o assunto, mas já li por alguns blogs essas histórias de trotes. É ridículo o que alguns estudantes pensam e fazem, e também já me perguntei o que estes seriam na sua vida profissional. Preocupante. Acho que há muitas formas de tornar essa "passagem" legal sem essas humilhações e exageros.

Adorei o post!
Boa semana ;*